barsanulfo – O que é A Fraternidade dos Discípulos de Jesus? Fraternidade dos Discípulos de Jesus Certa feita relatou-nos o Comandante Armond, que Razin, um espírito de grande elevação, presenciou os momentos finais de passagem de Jesus pela Terra, tendo sido envolvido por emoções muito fortes no triste momento do calvário. Naquele momento Razin reuniu algumas pessoas que, atônitas, presenciavam a imolação do Cordeiro de Deus, propondo a formação de um grupo com o propósito de trabalhar incessantemente, até que os ensinamentos do Cristo penetrassem no coração dos homens.. Com a formação da primeira turma de Escola de Aprendizes do Evangelho, o Plano Espiritual, na pessoa de Razin, propôs a criação, no plano material, da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, como uma extensão da Fraternidade do Trevo. A FDJ tem como finalidade principal, ser um portal de entrada, e não um marco de chegada. Através dela, o Discípulo sente a Humanidade inteira, com seu coração sensível, e ouve de mais perto o apelo de Jesus para que façam alguma coisa, mobilizando o Amor e a Sabedoria que Deus nos concedeu. Em 04 de maio de 1954… Inspirado pelo plano Espiritual Superior, cria, em complemento à “Escola de Aprendizes do Evangelho – EAE”, a Fraternidade dos Discípulos de Jesus, ligada à Fraternidade do trevo no plano Espiritual, como idéia de trabalho, cujos membros, recém-formados pela EAE, atuariam na parte moral-religiosa do Espiritismo. O Estado Moral da Fraternidade dos Discípulos de Jesus é O SERMAÃO DO MONTE (Mt: 5-7) (pg. 44) Os centros espíritas devem ser verdadeiros templos cristãos, inspiradores da mais completa confiança, onde se penetre com a certeza de que ali se receberá o melhor ensino, o melhor encaminhamento religioso, a mais segura orientação sobre as verdades espirituais. Os dirigentes devem ser pessoas austeras, bondosas e competentes, cujas vidas sejam exemplos vivos de retidão, amor ao próximo e desprendimento de coisas materiais. Portanto, na expansão da Doutrina e na sua prática, duas coisas devem ser consideradas com maior rigor: a preparação dos dirigentes e a qualidade dos ensinamentos a ministrar ao povo. É preciso modificar os programas e explicar francamente as finalidades verdadeiras do Espiritismo, o que ele oferece e o que exige da parte dos adeptos para a reforma moral indispensável, explicando também que as curas, os auxílios materiais, o conhecimento dos fenômenos de efeitos físicos, a instrução doutrinária, tudo virá em seguida, em decorrência do primeiro passo, como conseqüência da aceitação do principal, mesmo porque se o freqüentador não se interessar pela reforma intima e só tiver em vista exterioridade e benefícios pessoais, nenhum valor de maios monta agregará aos conhecimentos teóricos que recebe. Podemos, então, agora, definir uma sessão espírita como sendo a reunião de pessoas que buscam a verdade espiritual, promovendo sua reforma moral pela evangelização, pelo estudo da Doutrina e sua prática, pelo exercício da fraternidade universal e pela permuta de consolação e de auxilio, segundo os ensinamentos de Jesus, o Divino Redentor que é para todos nós: o Caminho, a Verdade e a Vida, a esperança consoladora na morte e a segurança de uma felicidade radiosa na vida eterna. (Espiritismo, Religião Redentora – 1956 – Edgard Armond) Em 1958… Dr. Bezerra de Menezes, em mensagem espiritual a Edgard Armond, em relação às sua tarefas desde o inicio na FEESP, diz: “Quando o momento lhe soou e foi quase jogado dentro desta casa, então pequenas agonizante, nós confiávamos em sua boa vontade e esforço; conhecíamos sua fibra e sabíamos que não nos decepcionarmos; mas mesmo assim ficamos surpresos ao verificar como assimilava, em toda a plenitude, as forças divinas que dia após dia, jorravam sobre você.” Em 1967… Armond finaliza tarefas na FEESP, mas prossegue seus estudos com um pequeno grupo de trabalho formado por pessoas e médiuns de sua confiança, que se reuniam semanalmente em sua casa. Com eles orientava as atividades de inúmeros companheiros e centros afins com os mesmos princípios dês Espíritos Evangélicos que implantavam através da criação da criação da Fraternidade dos Discípulos de Jesus. Em 1973… Numa dessas reuniões, funda a Aliança Espírita Evangélica, com alguns companheiros, com o objetivo de integrar vários Centros Espíritas ao programa da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, orientado pelos Veneráveis Mentores Espirituais. Em 1980… Armond recebe a seguinte orientação do plano Espiritual, diretor da Fraternidade dos Discípulos de Jesus: “A independência da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, FDJ, que convêm agora ser estabelecida, é medida aconselhável por ser basilar e essencial à formação e aos testemunhos evangélicos exigidos pelos próximo acontecimentos ao transcurso do milênio.” Nasce o Setor III da Fraternidade dos Discípulos de Jesus. Aqui já não era mais o compromisso Com a Casa Espírita que importava, Mas com a Causa Espírita, a Revivescência do Cristianismo Primitivo. Edgard Armond no Plano Espiritual Em 29 de novembro de 1982… O comandante Edgard Armond desencarnou em São Paulo, 2 anos após formar o Setor III, com 88 anos e foi, sem dúvida, o continuador de Bezerra de Menezes no tocante à difusão e vivência do Espiritismo em seu aspecto religioso. Em 17 de maio de 1992… Venerável Razin passa a liderança da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, no Espaço, a Edgard Armond, entregando-lhe o trevo dos emissários de Maria de Nazaré, responsabilizando-o, mais uma vez, de liderar os Aprendizes do Evangelho nos dois planos da vida, a fim de concretizar a destinação do Brasil como Coração do Mundo e Pátria do Evangelho. Em 1995… Numa comunicação, Armond reafirma suas convicções dizendo: “Alguns dos adjetivos com os quais me qualificaram talvez tenham sido ditados pela gratidão de alguém que conosco tomou parte nessas experimentações. No entanto, não vejam neste testemunho o trabalho de uma única pessoa; vejam, isto sim, o esforço conjunto de companheiros encarnados e desencarnados, demonstrando que só a fidelidade e a convivência fraternal é que poderão continuar trazendo à Terra notícias das nossas construções espirituais nos diversos Planos da Crosta Terrestre.” “É do coração do homem que vai sair o movimento libertador das consciências; por conseguinte, aquele que se torna verdadeiramente cristão, automaticamente vai cristianizando os que com ele convivem.” “Que o Nosso Divino Mestre Jesus continue conquistando novos discípulos, é o que lhes deseja o amigo fiel, Edgard Armond”

O que é A Fraternidade dos Discípulos de Jesus?
Fraternidade dos Discípulos de Jesus
Certa feita relatou-nos o Comandante Armond, que Razin, um espírito de grande elevação, presenciou os momentos finais de passagem de Jesus pela Terra, tendo sido envolvido por emoções muito fortes no triste momento do calvário. Naquele momento Razin reuniu algumas pessoas que, atônitas, presenciavam a imolação do Cordeiro de Deus, propondo a formação de um grupo com o propósito de trabalhar incessantemente, até que os ensinamentos do Cristo penetrassem no coração dos homens.. Com a formação da primeira turma de Escola de Aprendizes do Evangelho, o Plano Espiritual, na pessoa de Razin, propôs a criação, no plano material, da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, como uma extensão da Fraternidade do Trevo.
A FDJ tem como finalidade principal, ser um portal de entrada, e não um marco de chegada. Através dela, o Discípulo sente a Humanidade inteira, com seu coração sensível, e ouve de mais perto o apelo de Jesus para que façam alguma coisa, mobilizando o Amor e a Sabedoria que Deus nos concedeu.
Em 04 de maio de 1954…
Inspirado pelo plano Espiritual Superior, cria, em complemento à “Escola de Aprendizes do Evangelho – EAE”, a Fraternidade dos Discípulos de Jesus, ligada à Fraternidade do trevo no plano Espiritual, como idéia de trabalho, cujos membros, recém-formados pela EAE, atuariam na parte moral-religiosa do Espiritismo.
O Estado Moral da Fraternidade dos Discípulos de Jesus é
O SERMAÃO DO MONTE (Mt: 5-7) (pg. 44)
Os centros espíritas devem ser verdadeiros templos cristãos, inspiradores da mais completa confiança, onde se penetre com a certeza de que ali se receberá o melhor ensino, o melhor encaminhamento religioso, a mais segura orientação sobre as verdades espirituais. Os dirigentes devem ser pessoas austeras, bondosas e competentes, cujas vidas sejam exemplos vivos de retidão, amor ao próximo e desprendimento de coisas materiais.
Portanto, na expansão da Doutrina e na sua prática, duas coisas devem ser consideradas com maior rigor: a preparação dos dirigentes e a qualidade dos ensinamentos a ministrar ao povo.
É preciso modificar os programas e explicar francamente as finalidades verdadeiras do Espiritismo, o que ele oferece e o que exige da parte dos adeptos para a reforma moral indispensável, explicando também que as curas, os auxílios materiais, o conhecimento dos fenômenos de efeitos físicos, a instrução doutrinária, tudo virá em seguida, em decorrência do primeiro passo, como conseqüência da aceitação do principal, mesmo porque se o freqüentador não se interessar pela reforma intima e só tiver em vista exterioridade e benefícios pessoais, nenhum valor de maios monta agregará aos conhecimentos teóricos que recebe.
Podemos, então, agora, definir uma sessão espírita como sendo a reunião de pessoas que buscam a verdade espiritual, promovendo sua reforma moral pela evangelização, pelo estudo da Doutrina e sua prática, pelo exercício da fraternidade universal e pela permuta de consolação e de auxilio, segundo os ensinamentos de Jesus, o Divino Redentor que é para todos nós: o Caminho, a Verdade e a Vida, a esperança consoladora na morte e a segurança de uma felicidade radiosa na vida eterna.
(Espiritismo, Religião Redentora – 1956 – Edgard Armond)
Em 1958…
Dr. Bezerra de Menezes, em mensagem espiritual a Edgard Armond, em relação às sua tarefas desde o inicio na FEESP, diz:
“Quando o momento lhe soou e foi quase jogado dentro desta casa, então pequenas agonizante,
nós confiávamos em sua boa vontade e esforço; conhecíamos sua fibra e sabíamos que não nos decepcionarmos; mas mesmo assim ficamos surpresos ao verificar como assimilava,
em toda a plenitude, as forças divinas que dia após dia, jorravam sobre você.”
Em 1967…
Armond finaliza tarefas na FEESP, mas prossegue seus estudos com um pequeno grupo de trabalho formado por pessoas e médiuns de sua confiança, que se reuniam semanalmente em sua casa. Com eles orientava as atividades de inúmeros companheiros e centros afins com os mesmos princípios dês Espíritos Evangélicos que implantavam através da criação da criação da Fraternidade dos Discípulos de Jesus.
Em 1973…
Numa dessas reuniões, funda a Aliança Espírita Evangélica, com alguns companheiros, com o objetivo de integrar vários Centros Espíritas ao programa da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, orientado pelos Veneráveis Mentores Espirituais.
Em 1980…
Armond recebe a seguinte orientação do plano Espiritual, diretor da Fraternidade dos Discípulos de Jesus:
“A independência da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, FDJ, que
convêm agora ser estabelecida, é medida aconselhável por ser basilar
e essencial à formação e aos testemunhos evangélicos exigidos pelos
próximo acontecimentos ao transcurso do milênio.”
Nasce o Setor III da Fraternidade dos Discípulos de Jesus.
Aqui já não era mais o compromisso Com a Casa Espírita que importava, Mas com a Causa Espírita, a Revivescência do Cristianismo Primitivo.
Edgard Armond no Plano Espiritual
Em 29 de novembro de 1982…
O comandante Edgard Armond desencarnou em São Paulo, 2 anos após formar o Setor III, com 88 anos e foi, sem dúvida, o continuador de Bezerra de Menezes no tocante à difusão e vivência do Espiritismo em seu aspecto religioso.
Em 17 de maio de 1992…
Venerável Razin passa a liderança da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, no Espaço, a Edgard Armond, entregando-lhe o trevo dos emissários de Maria de Nazaré, responsabilizando-o, mais uma vez, de liderar os Aprendizes do Evangelho nos dois planos da vida, a fim de concretizar a destinação do Brasil como Coração do Mundo e Pátria do Evangelho.
Em 1995…
Numa comunicação, Armond reafirma suas convicções dizendo:
“Alguns dos adjetivos com os quais me qualificaram talvez tenham sido ditados pela gratidão de alguém que conosco tomou parte nessas experimentações. No entanto, não vejam neste testemunho o trabalho de uma única pessoa; vejam, isto sim, o esforço conjunto de companheiros encarnados e desencarnados, demonstrando que só a fidelidade e a convivência fraternal é que poderão continuar trazendo à Terra notícias das nossas construções espirituais nos diversos Planos da Crosta Terrestre.”
“É do coração do homem que vai sair o movimento libertador das consciências; por conseguinte, aquele que se torna verdadeiramente cristão, automaticamente vai cristianizando os que com ele convivem.”
“Que o Nosso Divino Mestre Jesus continue conquistando novos discípulos, é o que lhes deseja o amigo fiel,
Edgard Armond”

Anúncios
Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – documento do forum sobre ale – afam

documento da afam do ale

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – como montar a barraca

Manual de montagem da barraca

1) coloque o dormitório no chão e fixe bem a extremidades dos elásticos com as estacas;
2) separe as ferragens pelas cores, verifique que a barra de cima deve ficar com os furos nas extremidades, agora passe esta barra pelos elásticos da parte superior do quarto;
3) coloque as barras verticais, verificando que são duas, uma na frente e outra na parte traseira, os pinos devem encaixar nos furos da barra horizontal, neste ponto o quarto já está em pé.;
4) estique a cobertura por cima de tudo e prenda bem as extremidades, verifique se cobriu o quarto dos dois lados.;
5) a cobertura deve transpassar o quarto, caso isso não aconteça , pode haver infiltrações;
6) monte a barraca em lugar alto, onde não passe água, deixe sempre o zíper fechado para não entrar bichos, nunca guarde a barraca molhada.

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

BARSANULLFO – CHACRAS

crompoterapia-5

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

barsanulfo – QUINQUÊNIOS E SEXTA-PARTE – Esclarecimentos sobre custas judiciais dos atrasados Por Jornalismo ACSPMESP – agosto 25, 201501.321 visitas Compartilhar no Facebook Tweet

QUINQUÊNIOS E SEXTA-PARTE – Esclarecimentos sobre custas judiciais dos atrasados
Por Jornalismo ACSPMESP – agosto 25, 201501.321 visitas
Compartilhar no Facebook Tweet

Primeiramente é preciso dizer que a Associação dos Cabos e Soldados (ACS) da PMESP, por sua iniciativa, com a finalidade de facilitar o acesso de seus associados à execução de atrasados do Mandado de Segurança Coletivo que recalculou os quinquênios e a sexta-parte, disponibilizará o Escritório Negri Advogados Associados para esta execução e assim fará sem qualquer custo inicial, ou seja, o associado não pagará nenhuma quantia aos advogados no início desta fase satisfativa, e seus honorários se limitarão a 20% do valor executado e só serão devidos ao final do processo, por ocasião do pagamento do precatório.

Quanto as custas iniciais, aquelas que são devidas ao Estado, o Escritório Negri entende que boa parte dos associados terão o benefício da assistência judiciária gratuita deferido, ante a média salarial de nossos policiais.

Em caso de indeferimento do pedido de assistência judiciária gratuita, haverá necessidade do recolhimento aos cofres estatais, mas aqui também a ACS irá atuar em benefício de seu pessoal, pois em entendimento com o Escritório Negri, essa quantia que é variável e segue explicada a seguir, será adiantada pela ACS, que depois cobrará de seus associados, sem acréscimos, podendo ainda ser parcelado. Cabendo reiterar a expectativa de que a maior parte de nossos associados, pelo o que se lê nas decisões recentes do Poder Judiciário, terão deferidos os pedidos de assistência judiciária gratuita.

Entenda o sistema de custas judiciais em SP
Para entender como funciona o sistema de custas judiciais no Estado de São Paulo, começamos tratando do advento da Lei Federal 12.153/2009, em que fora instituído o Juizado Especial da Fazenda Pública, cuja competência é julgar “causas cíveis de interesse dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, até o valor de 60 (sessenta) salários mínimos” (artigo 2º da lei), nesta linha, as ações que superarem o aludido patamar deverão ser julgadas na Justiça Comum. Basta a ação superar R$ 47.280,00 para atração da sua competência exclusiva.

Na questão dos quinquênios e sexta-parte, a maioria dos associados terão direito a receber quantias acima do que está resguardado aos Juizados Especiais, ou seja, a maioria dos casos superarão o teto de R$ 47.280,00, pois além dos valores serem de muitos meses sem pagamento, ainda há a incidência de juros e correção monetária entre o período de 28 de agosto de 2003 até os dias atuais.

De acordo com a lei de custas do Estado de São Paulo, Lei Estadual 11.608/2003, no ajuizamento da ação é necessário recolher o importe de 1% do valor da causa (artigo 4, I e §1º), aqui está a variante, pois os valores cobrados nunca são iguais.

Há ainda as taxas de valores fixos, como de mandados de citações e procuração, esta última no valor de R$ 15,76 para cada autor (Lei Estadual nº 10.394/1970 alterada pela Lei nº 216/1974, art. 48 e Decreto nº 8.381/2014).

As custas das diligências de oficial de justiça, aquela paga para realizar a citação do pólo passivo (expedição de mandado de citação), é atualmente de R$ 63,75 e, no nosso caso, temos que recolhê-la duas vezes, visto a necessidade de inclusão conjunta de dois endereços distintos, da SPPREV e da Fazenda Pública, perfazendo o custo mínimo de R$ 127,50 para cada processo de 10 autores.

Quando o cálculo superar 60 salários mínimos, a Justiça Comum será competente e aqui é exigido 1% sobre a quantia que se pretende executar, sob pena de não ser admitida a execução dos atrasados. Por exemplo, o associado que tenha R$ 50.000,00 a receber deverá arcar com R$ 500,00 de custas iniciais, o equivalente a 1% sobre o valor a receber.

No mesmo exemplo (R$ 50.000,00), este associado teria o encargo de R$ 500,00 (1% do valor a executar), R$ 15,76 pela outorga de procuração e, por fim, o rateio das despesas de diligências (R$ 127,50 dividido por 10 autores = R$ 12,75 / associado). Tudo somado perfaz, como exemplo hipotético, o valor de R$ 528,51.

Exemplo: cálculo das custas para quem tem R$ 50.000,00 a receber

Encargo Valor a pagar
1% do valor da causa R$ 500,00
Taxa de procuração R$ 15,76
Despesas de diligências SPPREV + Fazenda Pública (R$ 127,50 dividido por 10 autores) R$ 12,75
Total R$ 528,51
Cabe reiterar que na maioria das execuções teremos o deferimento da assistência judiciária gratuita, como facilitador justificado, legal e constitucional, sendo esta uma garantia a funcionar como facilitador do acesso à Justiça.

Assim, espera-se ter prestado os devidos esclarecimentos sobre a questão das custas judiciais na execução dos atrasados de quinquênios e sexta-parte, pois logo precisaremos fazer com que nossos associados entendam todos os mecanismos.

Departamento Jurídico ACS
E-mail: juridicosede@hotmail.com
Telefones: (11) 3871-8126/8139/8141/8142/8143
Administração: Cabo Wilson

Leia também: ACS inicia execuções da Ação dos Quinquênios e Sexta-Parte em 14/09/2015

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – musica linda de Walquiria Oliveira – filho estou aqui

Com a alma angustiada, com o coração ferido e sem forças para lutar .com semblante caído coração entristecido sem forças para caminhar Foi aí que de repente ele veio de mansinho, disse vim para te ajudar .sou teu Deus sou teu amigo não temas Estou Contigo Vitória vim te entregar filho eu estou aqui filho não te abandonei que nas horas de alegria ou nas horas de agonia filho contigo estarei filho eu estou aqui meu amor filho eu te dei como prova que eu te amo filho na cruz do Calvário sangue por ti derramei se tu estás abatido saiba que Deus é contigo ele não te abandonou se esses entes agustiado Jesus está do teu lado compreendendo a tua dor quando estás em aflição Ele estende as suas mãos para Vitória te dar e nas horas de perigo ele diz estou contigo eu vim para te ajudar filho eu estou aqui filho não te abandonei que nas horas de alegria ou nas horas de agonia filho contigo estarei filho eu estou aqui meu amor filho eu te dei como prova que eu te amo filho na cruz do Calvário sangue por ti derramei Como provar que eu te amo filho na cruz do Calvário sangue por ti derramei.
Walquiria oliveira – musica filho eu estou aqui

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – Gilmar diz que prisão de Lula é absurda e responsabiliza o PT Folhapress Folhapress sex, 6 de abr 12:17 BRT

Notícias

Reações Reblog on Tumblr Share Tweet E-mail
Fátima Meira/Futura Press
Fátima Meira/Futura Press
MÔNICA BERGAMO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – De Portugal, o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), fez duras críticas, nesta sexta-feira (6), à ordem de prisão determinada pelo juiz Sérgio Moro contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também ao PT, que, segundo ele, estaria “sendo vítima de sua própria obra”.

“A prisão de Lula é absurda, fruto do autoritarismo desse punitivismo processual hoje em voga no país. Os recursos [que Lula pode apresentar à Justiça] ainda não se esgotaram e já se precipita a prisão”, afirma.

“A única coisa que me consola é que esse estado de coisas excepcional é fruto do processo de desinstitucionalização que o PT promoveu no Brasil, do conluio que existia entre o partido e procuradores, das más escolhas [de magistrados] para o Supremo [Tribunal Federal].”

Segundo ele, “em vez de pensar em uma composição da corte [o STF] dentro dos padrões técnicos e jurídicos, privilegiou-se a escolha de pessoas ligadas aos movimentos LGBT, ao MST, basistas e coisas desse tipo. O resultado está aí, é esse direito penal totalitário”.

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário