Segurança, educação e saude não em, dinheiro, agora para fazer graça para preso tem,,,,Brasil…São paulo…

21/12/2010

20h03

Mais de 4.600 presos de SP vão usar tornozeleira eletrônica na saída temporária de Natal

Publicidade

ANDRÉ MONTEIRO
DE SÃO PAULO

Pela primeira vez, presidiários que cumprem o regime semiaberto no Estado de São Paulo usarão tornozeleira para monitoramento eletrônico na saída temporária de Natal e Ano Novo. A autorização judicial para os detentos da cidade de São Paulo foi dada no dia 13.

Foragido do RS é recapturado com ajuda de tornozeleira
RS vai usar tornozeleira eletrônica em 200 presos
Governo sanciona monitoramento eletrônico de presos

Gentil Filho-4.jun.10/Folhapress
Mulher mostra modelo de tornozeleira eletrônica usada em Guarabira, na Paraíba
Mulher mostra modelo de tornozeleira eletrônica usada na PB

Serão 4.635 presos com o aparelho, dos quais 1.106 são mulheres. A SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) não informou o total de detentos que devem passar as festas de fim de ano em casa.

De acordo com a secretaria, o objetivo é evitar que eles não voltem à prisão até a data-limite estabelecida pela Justiça. No ano passado, 8,5% dos 23.331 beneficiados não voltaram.

Segundo a secretaria, foi adotado como critério para a escolha dos presos o atendimento às autorizações judiciais protocoladas por ordem cronológica.

Além da Grande São Paulo, onde 1.379 usarão a tornozeleira, os aparelhos serão instalados em 1.650 detentos da região noroeste do Estado, 878 da região oeste e 728 da região central.

Os presos do Vale do Paraíba e litoral não usarão o equipamento. Segundo a SAP, a empresa que ganhou a licitação para implantar o sistema só tem 4.800 tornozeleiras por enquanto.

A licitação, aberta há quase dois anos, prevê que o monitoramento será feita pela empresa inicialmente por 30 meses, a um custo de R$ 50 milhões. O contrato para a prestação do serviço foi assinado em setembro. O monitoramento também será usado nas outras quatro saídas temporárias previstas pela lei.

COMO FUNCIONA

O sistema de monitoramento será descentralizado –as Coordenadorias Regionais de Unidades Prisionais farão o controle dos presos de sua região. Cada tornozeleira será identificado por um número, e a empresa responsável pelo monitoramento não saberá qual preso usa o aparelho. O acesso à identidade dos monitorados será exclusivo do Departamento de Inteligência da SAP.

Caso o lacre do aparelho, que fica preso ao corpo, seja rompido, a empresa deverá acionar a coordenadoria. Identificado qual preso corresponde ao aparelho violado, a Polícia Militar será acionada para que seja feita sua captura. Com isso, o preso perde o benefício do semiaberto e, quando recapturado, volta ao regime fechado

Anúncios
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s