barsanulfo – aula eae

Objetivo Da Aula 2
Reflexão 2
Assunto Abordado Pelo Dirigente 2
Bibliografia Principal 2
Bibliografia Complementar 3
Iniciação Espírita 5
Escola de Aprendizes do Evangelho 6
O que é? 6
Estrutura 7
Finalidade 7
Reuniões 8
Participantes 9
Programa de Atividades 9
Formação de Turma 9
Exames Espirituais 10
Caderneta Pessoal 10
O Livro dos Espíritos 10
Período Probatório 11
Fraternidade dos Discípulos de Jesus 11
Sobre a Bibliografia e Aulas 12
Prece Dos Aprendizes Do Evangelho 13
Prece Das Fraternidades 17
Mudaremos A Prece Das Fraternidades? – Paulo Avelino 18

OBJETIVO DA AULA

Abordar que a Escola dará ênfase à nossa Reforma Moral, ao conhecimento, à Pratica do amor fraterno pelo próximo e ao caráter iniciático da EAE;
Apresentar uma síntese do programa, e informar sobre ferramentas úteis ao processo de aprimoramento moral.
Reflexões sobre o Amor e Reforma Intima
Introdução da Prece dos Aprendizes – Explicar que a Prece dos Aprendizes é uma referencia aos primeiros cristãos, que iam para o sacrifício cantando.

REFLEXÃO

ASSUNTO ABORDADO PELO DIRIGENTE

Implantação da Prece dos Aprendizes

BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL

O Evangelho Segundo o Espiritismo – (Allan Kardec) Capitulo
O Livro dos Espíritos – (Allan Kardec) Questões
Emmanuel – (Emmanuel / F C Xavier) 25
Guia do Aprendiz – (Edgard Armond) 1 – 4 – 8 – 9 – 11 – 12
Guia do Discípulo – (Edgard Armond)
Iniciação Espírita – (Diversos) 5
Vivência do Espiritismo Religioso – (Diversos) Capitulo I – Item 111

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Falando ao Coração – (Edgard Armond) 1 – 6 – 11
Mensagens e Instruções – (Edgard Armond) Paginas 21 – 27
Na Semeadura I – (Edgard Armond) – 23, 50, 82, 146, 202
Na Semeadura II – (Edgard Armond) 27 – 40 – 46 – 58 – 62 – 86 – 120 – 171 – 184 – 202 – 255 – 257
Respondendo e Esclarecendo – (Edgard Armond) 43 – 56 – 201 – 261 – 264 – 268
Verdades e Conceitos I – (Edgard Armond) 9 – 13
Verdades e Conceitos II – (Edgard Armond) 45

INICIAÇÃO ESPÍRITA

ESCOLA DE APRENDIZES DO EVANGELHO

O QUE É?

Trata-se de um programa organizado para proporcionar a vivência do Cristianismo como proposta essencial de aperfeiçoamento moral da Humanidade através da Reforma Íntima do ser. Busca a renovação do homem em seus sentimentos, pensamentos e atitudes, proporcionando-lhe experiências de verdadeiro autoconhecimento e despertamento de seus ideais divinos. As Escolas de Aprendizes do Evangelho preparam e purificam os espíritos para o ingresso em vidas mais perfeitas, na comunhão de todos os dias com Deus, despertando a consciência interna para que vibre em sintonia com os planos espirituais mais elevados.
Não é um curso comum de preparação material, mas a oportunidade que o aprendiz tem para adestrar suas forças, sem temor e represálias, terçar armas contra si mesmo e provar a si próprio que está combatendo por decisão própria sem engodos ou forçamentos, visando seu próprio engrandecimento espiritual.

ESTRUTURA

• Reuniões
• Direção
• Participantes

Para atingir suas finalidades, a Escola de Aprendizes faz uso de um programa integrado de aulas e atividades, bem como encaminhamento dos alunos para o trabalho. Concluída a Escola de Aprendizes do Evangelho, os alunos que sentirem em si o ideal de servir a Jesus, através do serviço a bem do semelhante e divulgação das verdades evangélicas, podem postular seu ingresso como membros da Fraternidade dos Discípulos de Jesus.
A Escola de Aprendizes do Evangelho foi implantada no dia 6 de maio de 1950 pelo comandante Edgard Armond na Federação Espírita do Estado de São Paulo (FEESP).

FINALIDADE

(Fonte: VER – Vivência do Espiritismo Religioso)
• Preparar e purificar os alunos para vidas mais perfeitas;
• Despertar o aluno à consciência interna com vibrações em sintonia com os planos espirituais mais elevados;
• Adestrar suas forças, sem temor e represálias, contra suas imperfeições, combatendo e provando por decisão própria sem forçamentos, para o alcance do engrandecimento espiritual.

REUNIÕES

Roteiro conforme o Vivência do Espiritismo Religioso):

10 minutos – preparação do ambiente, constituída de sintonia progressiva com esferas espirituais superiores, terminando com a prece do Pai Nosso e Prece dos Aprendizes;
10 minutos – leitura de temas pelos aprendizes; comunicações de novos temas;
10 minutos – avisos gerais, nomes para vibrações, comentários sobre o bem;
45 minutos – exposição da aula por expositor convidado de acordo com o programa da EAE;
15 minutos – comentários finais, vibrações coletivas e encerramento.

PARTICIPANTES

As inscrições para a turma é aberta ao público, sem restrições, independente de religião, material ou pessoal (sugere-se que o candidato tenha mais de 18 anos) e as inscrições podem ser aceitas até a aula no 13, quando se implanta o Caderno de Temas. Podem participar também, alunos do 2o e 3o anos que obtiveram aprovação nos anos anteriores. (Fonte: VER – Português, Español)

PROGRAMA DE ATIVIDADES

(Fonte: VER – Português, Español)
Os alunos são convidados a participar de diversas atividades na Casa, sempre visando a renovação interior:
1) Vibrações das 19 horas (que deve ser iniciado a partir do 1o ano, quando Aprendiz)
2) Caderno de Temas (a partir da Aula 13)
3) Caravanas de Evangelização e Auxílio
4) Evangelho no Lar
5) Caderneta Pessoal (a partir da Aula 24)

FORMAÇÃO DE TURMA

Uma Turma da Escola, segundo Vivência do Espiritismo Religioso, se forma nas condições abaixo:
a) Sucessivamente, obedecendo uma programação do Centro que a patrocina;
b) Por encaminhamento natural dos assistidos nos Trabalhos da Casa, após o Curso Básico de Espiritismo.

EXAMES ESPIRITUAIS

Conforme o VER (Português, Español), o Centro Espírita deve organizar exames espirituais ao final de cada ano da EAE, a fim de apurar o aproveitamento dos aprendizes e servidores conforme o parecer dos instrutores espirituais. E o ingresso para esses graus da Iniciação Espírita deve ser organizado pelos Dirigentes das Turmas.

CADERNETA PESSOAL

Na Caderneta Pessoal o aluno discorrerá seus defeitos, vícios, reações, descobertas interiores, progressos, fracassos e um propósito de combatê-los. Nela o aluno registra suas descobertas no complexo terreno interior. Alinha e enumera em pormenores os resultados das suas reflexões para em seguida, armar-se contra as ameaçadoras feras que habitam o nosso mundo íntimo.

O LIVRO DOS ESPÍRITOS

Uma vez concluído o terceiro ano da E.A.E., o Servidor entrará nos estudos de O Livro dos Espíritos.

PERÍODO PROBATÓRIO

No término dos estudos de O Livro dos Espíritos, o Servidor passará pelo Período Probatório (período de três meses), fora do ambiente de turma, quando então avaliará sua busca para renovação de seus sentimentos e decidirá seu desejo de ingressar ou não na Fraternidade dos Discípulos de Jesus.

FRATERNIDADE DOS DISCÍPULOS DE JESUS

(Fonte: VER – Português, Español)
É uma extensão para aqueles alunos cujos corações foram despertados pela E.A.E., de abraçar o ideal de servir à Humanidade, em toda parte e em qualquer situação, incondicionalmente. A Fraternidade dos Discípulos de Jesus é um portal de entrada e não um marco de chegada, pois através dela, o Discípulo sente a Humanidade inteira, com a sensibilidade de seu coração, mobilizando o Amor e a Sabedoria que Deus concedeu.

Outras informações tais como o programa de aulas, caderneta pessoal, vida plena e caravanas, podem ser obtidas no site da Aliança Espírita Evangélica, nos livros VER (Português, Español), Escola de Aprendizes do Evangelho – Perguntas Mais Frequentes (Autores Diversos – Español) e no material de apoio Escola de Aprendizes – Perguntas mais frequentes.

SOBRE A BIBLIOGRAFIA E AULAS

A bibliografia que se encontra nas aulas, bem como os resumos em formato de mapas mentais, apresentações e imagens, não são um material acabado. Este material não exime o estudo e preparo das aulas por parte do expositor.
As aulas aqui apresentadas também não são completas. Elas, as aulas, sofrem evolução, tanto em material, como em reflexão feita por nós mesmos, expositores. Portanto, o objetivo deste material é apresentar um caminho, que por si só não é único e completo como exposto acima, e, por isso mesmo, podendo existir outras fontes bibliográficas, novos estudos e reflexões. Contudo, à medida em que novos materiais forem descobertos, faremos as alterações cabíveis.

Bom proveito e bom estudo.

PRECE DOS APRENDIZES DO EVANGELHO

Letra: E. Armond
Música: R. Vanucci

Português Inglês Espanhol
Prece dos Aprendizes do Evangelho

Pai Celeste, Criador
Fonte eterna de bondade
Auxilia-nos Senhor
A conquistar a Verdade

Abençoa o nosso esforço
Para o Teu reino atingir
Dá-nos Pai a luz que aclara
Os caminhos do porvir

És a glória deste mundo
És a paz e a Esperança
És a luz que não se apaga
És o amor que não se cansa

Dá-nos forças para sermos
Os arautos do Teu Amor
Testemunhos verdadeiros
Do Evangelho Redentor
Testemunhos verdadeiros
Do Evangelho Redentor Prayer of the gospel apprentices

Celestial Father, our Creator
Eternal source of love and kindness
Help us Lord
To find the truth

Bless our efforts
To reach Your kingdom
Give us Father the light that guides us
Through the paths we are to see

You’re the glory of the world
You’re the peace and hope
You’re the light that never fades
You are the love that never ends

Gives us strength to become
Faithful heralds of Your love
Living examples
Of Thy redeeming gospel
Living examples
Of Thy redeeming gospel Himno a los Aprendices del Evangelio

Padre Celeste, Creador,
Fuente eterna de bondad,
Auxílianos Señor
A conquistar la verdad.

Bendice nuestro esfuerzo
Para tu reino alcanzar
Dadnos Padre, la luz que aclara
Los caminos del porvenir.

Eres la gloria de este mundo,
Eres la paz y la esperanza;
Eres la luz que no se apaga,
Eres el amor que no se cansa.

Dadnos fuerza para serte
los heraldos de Tu amor.
Testimonios verdaderos
del Evangelio redentor
Testimonios verdaderos
del Evangelio redentor

Francês Alemão
La prière des apprentis

Père celeste, créateur
Fontaine de bonté
Aide nous seigneur
A conquéri la vérité

Béni notre effort
Pour attendre ton royaume
Dons nous Père ta lumière, ta charité et ton amour.

Tu est la gloire de ce monde
Tu est la paix et l’espoir
Ton l’amour infatigable
Lumière inepegniable

Dons nous tout la force
Detre tes serviteurs
De temoins veritable
De L’Evangile rédempteur
De temoins veritable
De L’Evangile rédempteur Gebet der Studierenden des Evangeliums

Himmlischer Vater, unser Schöpfer,
ewige Gütequelle aller Dinge,
hilf uns Gott Allmächt’ger Herr,
die echte Wahrheit zu erringen.

Segne bitte unser Bemühen
Dein Reich zu erzielen!
Gib uns Vater, das Licht zum Wege, dass die Zukunft uns sei beschienen.

Bist die Herrlichkeit dieser Welt,
bist die Hoffnung und der Friede.
Bist das Licht das stets erhellt,
bist die unermüdliche Liebe.

Gib uns Kraft oh Herr,
die Verkünder Deiner Liebe zu sein
Wahre Zeugen um die Gewißheit,
des erlösenden Evangeliums.
Wahre Zeugen um die Gewißheit,
des erlösenden Evangeliums.

PRECE DAS FRATERNIDADES

Nosso Divino Mestre e Salvador,
Fortalecei-nos e amparai-nos,
Para que possamos lutar
Contra as forças do mal,
Que tentam dominar o mundo.

Veneráveis mensageiros celestes,
Auxiliares de Jesus:
Fortalecei-nos e amparai-nos,
Para que possamos lutar
Contra as forças do mal,
Que tentam dominar o mundo.

Pai Nosso, Criador Nosso,
Fonte eterna de amor e de luz,
Fortalecei-nos e amparai-nos,
Para que possamos lutar
Contra as forças do mal,
Que tentam dominar o mundo

Assim seja.

MUDAREMOS A PRECE DAS FRATERNIDADES? – PAULO AVELINO

recordo-me que, em meados dos anos 90, quando estava em moda a neurolinguística, ouvi pela primeira vez de companheiros da seara espírita a proposição de se alterar a Prece das Fraternidades.
Tal mudança tinha como base a alegação de que não nos competia “lutar contra as forças do mal” e sim “ajudar as forças do bem” posto que, segundo a neurolinguística, nossas afirmações devem ser positivas, uma vez que a realidade mental funciona por proposições afirmativas. Partindo desse pressuposto, toda vez que falamos ou pensamos em “lutar contra o mal” estaríamos enaltecendo-o e não o contrário. Fato é que alguns companheiros e até algumas Casas espíritas reformularam a prece baseados nesta hipótese.
nessa época participamos de alguns debates sobre o assunto e desenvolvemos algumas idéias que gostaríamos de compartilhar com os irmãos de ideal.
Pelo que sabemos, a proposição de tal prece, feita por edgard armond, tem sua origem no período dos grandes embates físicos e espirituais a partir da segunda Grande Guerra mundial. sob a contínua ameaça de hecatombes atômicas, forças monumentais se digladiavam nos dois planos de vida pela hegemonia sobre a crosta e subcrosta. Tal hegemonia, sem dúvida, incluía a neutralização das realizações e pessoas promotoras da evolução na Terra.
armond, que tinha dilatada visão, propôs tal prece como um meio de buscar sintonia com as forças do bem que lhes davam sustentação. A prece devia ser feita às 18h (primeira estrofe), 20h (segunda estrofe) e 22h (terceira estrofe).
No campo externo, o enunciado da prece nos remete a entender que estamos rodeados de inimigos, em meio a uma batalha contra o mal, carentes da proteção do mais alto. o que sem dúvida não deixa de ser verdade pelo próprio primitivismo que ainda predomina em nosso planeta e em suas criaturas. mas ampliemos a visão sobre o tema: se não temos poder sobre as escolhas das outras pessoas, se lhes apraz escolher experiências no lado escuro da vida em práticas involutivas ou estacionárias, por nosso lado temos poder sobre o nosso mundo íntimo onde de fato podemos escolher e praticar o bem.
Em o livro dos espíritos, questão 551, lemos:
“Pode um homem mau, com o auxílio de um mau espírito que lhe seja dedicado, fazer mal ao seu próximo?”
“não; Deus não o permitiria.”
Pela resposta do espírito verdade podemos concluir que “as forças do mal” têm um grau de liberdade delimitado pelas leis divinas, dentre as quais destacam-se a lei de livre-arbítrio e a lei de afinidade. elas não podem nos tornar melhores ou piores, mas podem explorar o mal que existe em nós, exacerbando nossas fraquezas morais, físicas e espirituais.
Paulo de Tarso já o dizia, em sua epístola aos romanos, no capítulo 7:
“Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço …Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço… Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento.”
assim entendendo, no meu uso cotidiano da Prece das Fraternidades, busco fazê-la olhando para dentro de mim, rogando o auxílio das forças do alto para iluminar a ignorância de mim mesmo, das forças animais que lutam inercial-mente para manterem seu controle sobre o ser consciente que sou eu, o ser espiritual.
assim, estarei em sintonia com as forças do bem, que buscam libertar nosso mundo interior, que apóiam a expansão de nossa espiritualidade .
Fica aí nossa sugestão para mudarmos o foco da Prece das Fraternidades, sem lhe atacar o texto: quando a efetuarmos, olharmos e focarmos para dentro. Experimentem!
“Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso senhor… Porque a lei do espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.” (romanos 7:25 e 8:2)

Anúncios
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s