barsanulfo – ans para 2018

Confira os principais procedimentos incorporados à lista

Câncer

  • 8 medicamentos orais para tratamento de cânceres – pulmão, melanoma, próstata, tumores neuroendócrinos, mielofibrose e leucemia (afatinibe, crizotinibe, dabrafenibe, enzalutamida, everolimo, ruxolitinibe, ibrutinibe e tramatinibe);
  • Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons (PET-CT) para diagnóstico de tumores neuroendócrinos.

Esclerose múltipla

  • Medicamento imunobiológico (natalizumabe).

Olhos

  • Quimioterapia com antiangiogênico e tomografia de coerência ótica para tratamento do edema macular secundário, retinopatia diabética, oclusão de veia central da retina e oclusão de ramo de veia central da retina;
  • Radiação para tratamento de ceratocone.

Mulheres

  • Cirurgia laparoscópica para tratamento de câncer de ovário (debulking);
  • Cirurgia laparoscópica para restaurar o suporte pélvico (prolapso de cúpula vaginal);
  • Cirurgia laparoscópica para desobstrução das tubas uterinas;
  • Cirurgia laparoscópica para restaurar a permeabilidade das tubas uterinas.
  • Pesquisa em líquido amniótico por PCR: exame laboratorial para o diagnóstico da toxoplasmose gestacional.

Crianças

  • Endoscopia para tratamento do refluxo vesicoureteral, doença relacionada a infecções urinárias;
  • Terapia imunoprofilática contra vírus sincicial respiratório (palivizumabe).

Cobertura obrigatória

A nova cobertura atenderá 42,5 milhões de beneficiários que possuem planos de assistência médica e 22,6 milhões que têm planos odontológicos, de acordo com a ANS.

Caso a agência identifique impacto financeiro, a inclusão de novos procedimentos à lista será avaliada no cálculo do reajuste das mensalidades do ano seguinte.

A multa prevista para as operadoras que não cumprirem a cobertura obrigatória é de R$ 80 mil por infração cometida.

A atualização do Rol de Procedimentos é feita após discussão pelo Comitê Permanente de Regulação da Atenção à Saúde (Cosaúde), composto por representantes do governo, do setor de saúde suplementar e de órgãos de defesa do consumidor.

Após essa etapa, o tema passa por consulta pública para manifestação da sociedade. A Consulta Pública nº 61 ficou disponível entre 27 de junho e 26 de julho de 2017 e recebeu 5.259 contribuições online – 53% de consumidores, 26% de contribuintes que se identificaram como “outros”, 13% de prestadores de serviço, 4% de servidores públicos, 3% de operadoras de planos de saúde e 1% de gestores.

O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde é obrigatório para todos os planos de saúde novos, ou seja, aqueles que foram contratados a partir de janeiro de 1999 ou que foram adaptados à nova legislação (Lei nº 9.656/98). A lista é atualizada a cada dois anos.

Como denunciar uma operadora que não cumpre as mudanças?

O consumidor precisa entrar em contato com a ANS. Seguem os canais:

Anúncios
Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – sinergia dos oleos essenciais

SINERGIAS DOS ÓLEOS ESSENCIAIS

EMOCION AL ÓLEOS ESSENCIAIS
Ansiedade, Tristeza, relaxamento Lavanda laranja
Acne Lavanda te tree
Celulite Laranja alecrim
Depressão forte, reanimação Laranja bergamoita
Insegurança Lavanda geranio
Dores musculares Capim limão hortela pímenta
Tristeza, desânimos, tensão nervosa Lavanda bergamota
Controle hormonal Geranio ylang ylang
Drenagem Laranja cipreste
Queda de cabelo Alecrim ylang ylang
Manchas escuras na pele palmarosa
Cansaço menta, acne, debilidade geral alecrim
Queimaduras alecrim
Asma bronquite alecrim
Artrites alecrim
Coceira, furunculos, acne bergamota
Carrapato canela
Estimula a digestão canela
Intuição Capim limão
Acne, pé de atleta, Capim limão
Sarna Capim limão
Dores musculares, fadiga mental Capim limão
Machucado, estancar sangue, acne Cipreste
Asma, tosses, hemorroidas Cipreste
Dsfunção ovariana, veias varicosas Cipreste
Anti inflamatorio Citronela
Dor de cabeça Citrolena
Dor de dente Cravo da india
Dores estomago,ulcera, gastrite Carvo da india
Vermifugo, depurativo ERVA DOCE
APIMENTADO ERVA DOCE
OBSIDADE , nauseas, celulite Erva doce
Afrodisiaco, estimulante de apetite Gengibre
Clarear a pela Olibano e geranio
Alzimer Geranio
Peneumonia Geranio
Cancer, pulmao, pancreas Geranio
Coluna Geranio
Queimação estomago Geranio
Hidrolato para limpeza da pela Geranio
Precisa conversar serio Geranio
Amar se mais Geranio
Asma,sinusite,dermatites,sarna,febre Hortela
Gripe,resfriado,obsidade,estresse,ansiedade Laranja doce
Asma , picada inseto, queimaduras,cististes, dores de cabeçacicatrizes, atenua dores e ansiedade,bronquite, resfriados,sistema respiuratorio Lavanda Pode ser usada dioreto na pela
Pessoas timidas Menta bergamota
Clarear pensamentos Menta bergamota
Febre, cansaço mental, nervosismo, impotencias.diarreias,sinusite Menta bergamota
Coceiras, rugas,rachaduras pé, pele,pele envelhecida, asma, bronquite Mirra – patchuli
Amar-se, amar a familia Olibano e geranio
Faz vc se amar. Pos argila, trabalha o cardiaco Palma rosa
Onde tem alguém doente borifar Palma rosa
Pele seca Palma rosa
´ser mais humano Palma rosa e sandalo
Repelente de insetos Patchuli
Atingir metas Vetiver
Ranquilidade Vetiver
Colicas mentruais Vetiver
Mais segurança Vetiver
Insonia Vetiver
Conter machucados sangue Vetiver
Nervosismo, dores musculkares Vetiver

continua . Barsanulfo das Graças novato é Aromaterapeuta = pélo Senac Ribeirao Preto

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – vetado uso de armas agentes de transito

Vetado uso de armas de fogo por agentes de trânsito

Para o Ministério da Justiça, a medida contraria o que preconiza o Estatuto do Desarmamento, que buscar restringir o porte de arma aos integrantes das forças de segurança
O projeto de lei que autorizava o uso de armas de fogo por agentes de trânsito foi vetado ontem pelo presidente da República, Michel Temer (PL 3624/08). O Ministério da Justiça, que orientou o presidente a vetar a proposta, argumenta que os agentes não exercem atividade de segurança pública.

“Os agentes aos quais o projeto pretende autorizar aquele porte não exercem atividade de segurança pública e, no caso de risco específico, há possibilidade de se requisitar a força policial para auxílio em seu trabalho”, afirmou o ministério, em nota.

A proposta alterava o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03), que autoriza o porte de arma para diversas categorias, entre elas: policiais (federais, civis, rodoviários, ferroviários, militares, bombeiros militares), integrantes das Forças Armadas, guardas municipais e auditores fiscais do Trabalho.

O projeto havia sido aprovado pela Câmara em 2015 e pelo Senado, no mês passado.
Íntegra da proposta:
PL-3624/2008
Da Redação – ND
Com informações da Agência Brasil

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – outubro lindo

A LENDA DO PEIXINHO VERMELHO

Ante as portas livres de acesso ao trabalho cristão e ao conhecimento salutar que André Luiz vai desvelando, recordamos prazerosamente a antiga lenda egípcia do peixinho vermelho.
No centro de formoso jardim, havia grande lago, adornado de ladrilhos azul-turquesa.
Alimentado por diminuto canal de pedra, escoava suas águas, do outro lado, através de grade muito estreita.
Nesse reduto acolhedor, vivia toda uma comunidade de peixes, a se refestelarem, nédios e satisfeitos, em complicadas lo-cas, frescas e sombrias. Elegeram um dos concidadãos de barbatanas para os encargos de rei, e ali viviam, plenamente despreo-cupados, entre a gula e a preguiça.
Junto deles, porém, havia um peixinho vermelho, menosprezado de todos. Não conseguia pescar a mais leve larva, nem re-fugiar-se nos nichos barrentos.
Os outros, vorazes e gordaluchos, arrebatavam para si todas as formas larvárias e ocupavam, displicentemente, todos os lugares consagrados ao descanso.
O peixinho vermelho que nadasse e sofresse. Por isso mesmo era visto, em correria constante, perseguido pela canícula ou atormentado de fome.
Não encontrando pouso no vastíssimo domicílio, o pobrezinho não dispunha de tempo para o lazer e começou a estudar com bastante interesse.
Fez o inventário de todos os ladrilhos que enfeitavam as bordas do poço, arrolou todos os buracos nele existentes e sabia, com precisão, onde se reuniria maior massa de lama por ocasião dos aguaceiros.
Depois de muito tempo, à custa de longas perquirições, encontrou a grade do escoadouro.
À frente da imprevista oportunidade de aventura benéfica, refletiu consigo:
“Não será melhor pesquisar a vida e conhecer outros rumos?”
Optou pela mudança.
Apesar de macérrimo pela abstenção completa de qualquer conforto, perdeu várias escamas, com grande sofrimento, a fim de atravessar a passagem estreitíssima.
Pronunciando votos renovadores, avançou, otimista, pelo rego d’água, encantado com as novas paisagens, ricas de flores e sol que o defrontavam, e seguiu, embriagado de esperança…
Em breve alcançou grande rio e fez inúmeros conhecimentos.
Encontrou peixes de muitas famílias diferentes, que com ele simpatizaram, instruindo-o quanto aos percalços da marcha e descortinando-lhe mais fácil roteiro.
Embevecido, contemplou nas margens homens e animais, embarcações e pontes, palácios e veículos, cabanas e arvoredo.
Habituado com o pouco, vivia com extrema simplicidade, jamais perdendo a leveza e a agilidade naturais.
Conseguiu desse modo, atingir o oceano, ébrio de novidades e sedento de estudo.
De início, porém, fascinado pela paixão de observar, aproximou-se de uma baleia para quem toda a água do lago em que vivera não seria mais que diminuta ração; impressionado com o espetáculo, abeirou-se dela mais que devia e foi tragado com os elementos que lhe constituíam a primeira refeição diária.
Em apuros, o peixinho aflito orou ao Deus dos Peixes, rogando proteção no bojo do monstro e, não obstante as trevas em que pedia salvamento, sua prece foi ouvida, porque o valente cetáceo começou a soluçar e vomitou, restituindo-o às correntes marinhas.
O pequeno viajante, agradecido e feliz, procurou companhias simpáticas e aprendeu a evitar os perigos e tentações.
Plenamente transformado em suas concepções do mundo, passou a reparar as infinitas riquezas da vida. Encontrou plantas luminosas, animais estranhos, estrelas móveis e flores diferentes no seio das águas. Sobretudo, descobriu a existência de muitos peixinhos, estudiosos e delgados tanto quanto ele, junto dos quais se sentia maravilhosamente feliz.
Vivia, agora, sorridente e calmo, no Palácio de Coral que elegera, com centenas de amigos, para residência ditosa, quando, ao se referir sobre o seu começo laborioso, veio a saber que somente no mar as criaturas aquáticas dispunham de mais sólida garantia, de vez que, quando o estio se fizesse mais arrasador, as águas de outra atitude continuariam a correr para o oceano.
O peixinho pensou, pensou… e sentindo imensa compaixão daqueles com quem convivera na infância, deliberou consagrar-se à obra do progresso e salvação deles.
Não seria justo regressar e anunciar-lhes a verdade?
Não seria nobre ampará-los, prestando-lhes a tempo valiosas informações?
Não hesitou.
Fortalecido pela generosidade de irmãos benfeitores que com ele viviam no Palácio de Coral, empreendeu comprida viagem de volta.
Tornou ao rio, do rio dirigiu-se aos regatos e dos regatos se encaminhou para os canaizinhos que o conduziram ao primitivo lar.
Esbelto e satisfeito como sempre, pela vida de estudo e serviço a que se devotava, varou a grade e procurou, ansiosa-mente, os velhos companheiros.
Estimulado pela proeza de amor que efetuava, supôs que o seu regresso causasse surpresa e entusiasmos gerais. Certo, a coletividade inteira lhe celebraria o feito, mas depressa verificou que ninguém se mexia.
Todos os peixes continuavam pesados e ociosos, repimpados nos mesmos ninhos lodacentos, protegidos por flores de ló-tus, de onde saiam apenas para disputar larvas, moscas ou minhocas desprezíveis.
Gritou que voltara a casa, mas não houve quem lhe prestasse atenção, porquanto ninguém, ali, havia dado pela ausência dele.
Ridicularizado, procurou, então, o rei de guelras enormes e comunicou-lhe a reveladora aventura.
O soberano, algo entorpecido pela mania de grandeza, reuniu o povo e permitiu que o mensageiro se explicasse.
O benfeitor desprezado, valendo-se do ensejo, esclareceu, com ênfase, que havia outro mundo líquido, glorioso e sem fim. Aquele poço era uma insignificância que podia desaparecer, de momento para outro. Além do escoadouro próximo desdo-bravam-se outra vida e outra experiência. Lá fora, corriam regatos ornados de flores, rios caudalosos repletos de seres diferen-tes e, por fim, o mar, onde a vida aparece cada vez mais rica e mais surpreendente. Descreveu o serviço de tainhas e salmões, de trutas e esqualos. Deu notícia do peixe-lua, do peixe-coelho e do galo-do-mar. Contou que vira o céu repleto de astros subli-mes e que descobrira árvores gigantescas, barcos imensos, cidades praieiras, monstros temíveis, jardins submersos, estrelas do oceano e ofereceu-se para conduzi-los ao Palácio de Coral, onde viveriam todos, prósperos e tranqüilos. Finalmente os informou de que semelhante felicidade, porém, tinha igualmente seu preço. Deveriam todos emagrecer, convenientemente, abstendo-se de devorar tanta larva e tanto verme nas locas escuras e aprendendo a trabalhar e estudar tanto quanto era necessária à ven-turosa jornada.
Assim que terminou, gargalhadas estridentes coroaram-lhe a preleção.
Ninguém acreditou nele.
Alguns oradores tomaram a palavra e afirmaram, solenes, que o peixinho vermelho delirava, que outra vida além do poço era francamente impossível, que aquela história de riachos, rios e oceanos era mera fantasia de cérebro demente e alguns che-garam a declarar que falavam em nome do Deus dos peixes, que trazia os olhos voltados para eles unicamente.
O soberano da comunidade, para melhor ironizar o peixinho, dirigiu-se em companhia dele até à grade de escoamento e, tentando, de longe, a travessia, exclamou borbulhante:
Não vês que não cabe aqui nem uma só de minhas barbatanas? Grande tolo! Vai-te daqui! Não nos perturbes o bem-es-tar… Nosso lago é o centro do universo… Ninguém possui vida igual à nossa!…”
Expulso a golpes de sarcasmo, o peixinho realizou a viagem de retorno e instalou-se, em definitivo, no Palácio de Coral, aguardando o tempo.
Depois de alguns anos, apareceu pavorosa e devastadora seca.
As águas desceram de nível. E o poço onde viviam os peixes pachorrentos e vaidosos esvaziou-se, compelindo a comuni-dade inteira a perecer, atolada na lama…

…….

O esforço de André Luiz, buscando acender luz nas trevas, é semelhante à missão do peixinho vermelho.
Encantado com as descobertas do caminho infinito, realizadas depois de muitos conflitos no sofrimento, volve aos recôn-cavos da Crosta Terrestre, anunciando aos antigos companheiros que, além dos cubículos em que se movimentam, resplandece outra vida, mais intensa e mais bela, exigindo, porém, acurado aprimoramento individual para a travessia da estreita passagem de acesso às claridades da sublimação.
Fala, informa, prepara, esclarece…
Há, contudo, muitos peixes humanos que sorriem e passam, entre a mordacidade e a indiferença, procurando locas passa- geiras ou pleiteando larvas temporárias.
Esperam um paraíso gratuito com milagrosos deslumbramentos depois da morte do corpo.
Mas, sem André Luiz e sem nós, humildes servidores de boa vontade, para todos os caminheiros da vida humana pronun-ciou o Pastor Divino as indeléveis palavras: — “A cada um será dado de acordo com as suas obras.”

Francisco Cândido Xavier / Emmanuel (espírito)
“Libertação” (Prefácio) – Edição Feb

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – Policiais militares vão para reserva com 30 anos de serviço Atualização do Decreto-lei, PLC 4/2017

Policiais militares vão para reserva com 30 anos de serviço
Atualização do Decreto-lei, PLC 4/2017, foi aprovada nesta quarta-feira (20) pelo governo estadual e regulamenta inatividade da corporação

Qua, 20/09/2017 – 18h31 | Do Portal do Governo FACEBOOKTWITTERENVIAR POR E-MAIL



DownloadGilberto Marques/A2img
Ao sancionar a PL, governo aumenta para 30 anos de serviço o tempo para alcançar a ‘expulsória’ da PM
DownloadGilberto Marques/A2img
PL também concede a praças o mesmo direito dado aos oficiais após ingressar na reserva
DownloadGilberto Marques/A2img
Os policiais integrantes da reserva também poderão ser recontratados para serviços administrativos


Por quase meio século, o Decreto-lei nº 260, de 29 de maio de 1970, regulamentou a inatividade da corporação da Polícia Militar de São Paulo. Nesta quarta-feira (20), o governador Geraldo Alckmin assinou uma atualização para o tema, o PLC 4/2017.

O novo regimento trata principalmente da reserva dos integrantes da Polícia Militar do Estado de SP, conforme explicou Alckmin. “Esta lei traz três benefícios. Primeiro, a expulsória (ou aposentadoria compulsória) passa para 60 anos de idade. Segundo, os soldados e praças passam a ter os mesmos direitos à reserva que os oficiais. E terceiro, eles poderão ser recontratados para serviços administrativos. Ganha o policial militar e ganha a sociedade”, afirmou o governador.

A nova lei se adéqua à normativa que permite o ingresso na Polícia Militar até os trinta anos de idade. Agora, também é permitido que a mesma pessoa possa cumprir o tempo de serviço mínimo para chegar à reserva, que é de trinta anos de atividade.

Outra alteração é que o praça, ao inativar, também pode integrar a reserva da Polícia Militar. Até hoje, isso acontecia apenas com os oficiais da PM.

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – sete coisas que não se falar no trabalho

7 coisas que você NÃO deve falar no trabalho

Prime Cursos29.08.2017
Para que sua imagem profissional seja preservada, alguns comentários devem ser evitados no dia a dia de trabalho. É preciso pensar muito bem antes de falar, e também cuidar com o tom de voz. Lembre-se que você está no ambiente de trabalho e deve se portar como um profissional. Se estiver com problemas pessoais ou estressado por algum motivo, deixe isso em casa e resolva depois. Quando chegar ao local de trabalho, foque toda a sua atenção no trabalho e mantenha o bom humor, por mais difícil que seja.

Para ajudar, veja agora 7 coisas que você nunca deve dizer aos colegas de trabalho e outros profissionais da empresa, mesmo que esteja muito estressado e precisando de férias:

Assuntos pessoais

Tenha muito cuidado com o que você fala de você e sua família no ambiente de trabalho. Lembre-se de que você está conversando com seus companheiros de trabalho, e até que provem que merecem algum “lugar” mais próximo na sua vida, cuidado para não se abrir muito. Não conte sobre brigas amorosas ou de família, ou de outros problemas pessoais. Primeiro porque seu local de trabalho não é um confessionário, e isso pode acabar tirando seu foco e energia para as atividades profissionais. Segundo porque, se você ainda não tem uma amizade de mais tempo com essas pessoas, elas ainda podem usar isso contra você de alguma forma. Caso seu chefe acabe descobrindo, você pode passar uma imagem que não deseja e ainda corre o risco de não ser promovido ou não receber alguma outra promoção.

Sugestões ou comentários desnecessários

Ser sincero é fundamental, mas cuidado para não ofender com o excesso de sinceridade quando sua colega perguntar se o novo corte de cabelo ficou legal. Mesmo que você não gostar de algo, responda com educação e diga apenas que ficou legal ou que você ainda está se acostumando com tal coisa. Nesse caso, é melhor omitir ou até fingir que gostou para não deixar seu colega triste. Se não deseja mentir, fale a sua opinião, mas com cuidado para não ofender. Não é preciso expressar o que realmente pensa em todos os momentos, ainda mais quando os assuntos não envolvem o trabalho.

Conversar sobre política

Falar sobre política já é arriscado em vários lugares, agora imagine no ambiente de trabalho. As pessoas têm opiniões diferentes, então por que conversar sobre determinados assuntos? Religião e futebol também são assuntos que podem gerar discórdias, então evite. Se for ano de eleições e alguém perguntar em quem você irá votar, apenas diga que ainda não decidiu e que está pensando, mas sem entrar no assunto. A famosa “mentira social” entra novamente em ação, e por mais que pareça errado, é melhor evitar alguns assuntos do que discutir com alguém que passe bastante tempo junto com você.

Fofoca

A fofoca infelizmente atrai muitas pessoa para a conversa, e muitos acabam falando o que não deveriam para chamar a atenção ou até fazer “amizades”. Para começar, lembre-se de que se a pessoa está falando de outras pessoas, ela provavelmente falará também de você para outros. Por isso, evite entrar nesses assuntos e fique na sua. Não fale da vida dos outros e se estiver ouvindo, apenas não faça comentários. Mude de assunto assim que possível.

Reclamações

É comum ter algo que você não goste ou não concorde no ambiente de trabalho, porém tenha cuidado para não deixar isso evidente, ok? Uma frase que muitos acabam dizendo sem perceber o seu real efeito é “não fui contratado(a) para isso”. Por mais que você pense assim, a impressão que você irá passar é que está de má vontade. Também pode parecer que você não é capaz de fazer tal coisa ou que se acha importante demais para tarefas muito simples.

Para finalizar, como já falamos no artigo, o ideal é sempre pensar muito bem antes de falar. Analise o que você irá falar e pense nas consequências disso.

Gostou das dicas de hoje? Esperamos que sim!

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

barsanulfo – aula eae

Objetivo Da Aula 2
Reflexão 2
Assunto Abordado Pelo Dirigente 2
Bibliografia Principal 2
Bibliografia Complementar 3
Iniciação Espírita 5
Escola de Aprendizes do Evangelho 6
O que é? 6
Estrutura 7
Finalidade 7
Reuniões 8
Participantes 9
Programa de Atividades 9
Formação de Turma 9
Exames Espirituais 10
Caderneta Pessoal 10
O Livro dos Espíritos 10
Período Probatório 11
Fraternidade dos Discípulos de Jesus 11
Sobre a Bibliografia e Aulas 12
Prece Dos Aprendizes Do Evangelho 13
Prece Das Fraternidades 17
Mudaremos A Prece Das Fraternidades? – Paulo Avelino 18

OBJETIVO DA AULA

Abordar que a Escola dará ênfase à nossa Reforma Moral, ao conhecimento, à Pratica do amor fraterno pelo próximo e ao caráter iniciático da EAE;
Apresentar uma síntese do programa, e informar sobre ferramentas úteis ao processo de aprimoramento moral.
Reflexões sobre o Amor e Reforma Intima
Introdução da Prece dos Aprendizes – Explicar que a Prece dos Aprendizes é uma referencia aos primeiros cristãos, que iam para o sacrifício cantando.

REFLEXÃO

ASSUNTO ABORDADO PELO DIRIGENTE

Implantação da Prece dos Aprendizes

BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL

O Evangelho Segundo o Espiritismo – (Allan Kardec) Capitulo
O Livro dos Espíritos – (Allan Kardec) Questões
Emmanuel – (Emmanuel / F C Xavier) 25
Guia do Aprendiz – (Edgard Armond) 1 – 4 – 8 – 9 – 11 – 12
Guia do Discípulo – (Edgard Armond)
Iniciação Espírita – (Diversos) 5
Vivência do Espiritismo Religioso – (Diversos) Capitulo I – Item 111

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Falando ao Coração – (Edgard Armond) 1 – 6 – 11
Mensagens e Instruções – (Edgard Armond) Paginas 21 – 27
Na Semeadura I – (Edgard Armond) – 23, 50, 82, 146, 202
Na Semeadura II – (Edgard Armond) 27 – 40 – 46 – 58 – 62 – 86 – 120 – 171 – 184 – 202 – 255 – 257
Respondendo e Esclarecendo – (Edgard Armond) 43 – 56 – 201 – 261 – 264 – 268
Verdades e Conceitos I – (Edgard Armond) 9 – 13
Verdades e Conceitos II – (Edgard Armond) 45

INICIAÇÃO ESPÍRITA

ESCOLA DE APRENDIZES DO EVANGELHO

O QUE É?

Trata-se de um programa organizado para proporcionar a vivência do Cristianismo como proposta essencial de aperfeiçoamento moral da Humanidade através da Reforma Íntima do ser. Busca a renovação do homem em seus sentimentos, pensamentos e atitudes, proporcionando-lhe experiências de verdadeiro autoconhecimento e despertamento de seus ideais divinos. As Escolas de Aprendizes do Evangelho preparam e purificam os espíritos para o ingresso em vidas mais perfeitas, na comunhão de todos os dias com Deus, despertando a consciência interna para que vibre em sintonia com os planos espirituais mais elevados.
Não é um curso comum de preparação material, mas a oportunidade que o aprendiz tem para adestrar suas forças, sem temor e represálias, terçar armas contra si mesmo e provar a si próprio que está combatendo por decisão própria sem engodos ou forçamentos, visando seu próprio engrandecimento espiritual.

ESTRUTURA

• Reuniões
• Direção
• Participantes

Para atingir suas finalidades, a Escola de Aprendizes faz uso de um programa integrado de aulas e atividades, bem como encaminhamento dos alunos para o trabalho. Concluída a Escola de Aprendizes do Evangelho, os alunos que sentirem em si o ideal de servir a Jesus, através do serviço a bem do semelhante e divulgação das verdades evangélicas, podem postular seu ingresso como membros da Fraternidade dos Discípulos de Jesus.
A Escola de Aprendizes do Evangelho foi implantada no dia 6 de maio de 1950 pelo comandante Edgard Armond na Federação Espírita do Estado de São Paulo (FEESP).

FINALIDADE

(Fonte: VER – Vivência do Espiritismo Religioso)
• Preparar e purificar os alunos para vidas mais perfeitas;
• Despertar o aluno à consciência interna com vibrações em sintonia com os planos espirituais mais elevados;
• Adestrar suas forças, sem temor e represálias, contra suas imperfeições, combatendo e provando por decisão própria sem forçamentos, para o alcance do engrandecimento espiritual.

REUNIÕES

Roteiro conforme o Vivência do Espiritismo Religioso):

10 minutos – preparação do ambiente, constituída de sintonia progressiva com esferas espirituais superiores, terminando com a prece do Pai Nosso e Prece dos Aprendizes;
10 minutos – leitura de temas pelos aprendizes; comunicações de novos temas;
10 minutos – avisos gerais, nomes para vibrações, comentários sobre o bem;
45 minutos – exposição da aula por expositor convidado de acordo com o programa da EAE;
15 minutos – comentários finais, vibrações coletivas e encerramento.

PARTICIPANTES

As inscrições para a turma é aberta ao público, sem restrições, independente de religião, material ou pessoal (sugere-se que o candidato tenha mais de 18 anos) e as inscrições podem ser aceitas até a aula no 13, quando se implanta o Caderno de Temas. Podem participar também, alunos do 2o e 3o anos que obtiveram aprovação nos anos anteriores. (Fonte: VER – Português, Español)

PROGRAMA DE ATIVIDADES

(Fonte: VER – Português, Español)
Os alunos são convidados a participar de diversas atividades na Casa, sempre visando a renovação interior:
1) Vibrações das 19 horas (que deve ser iniciado a partir do 1o ano, quando Aprendiz)
2) Caderno de Temas (a partir da Aula 13)
3) Caravanas de Evangelização e Auxílio
4) Evangelho no Lar
5) Caderneta Pessoal (a partir da Aula 24)

FORMAÇÃO DE TURMA

Uma Turma da Escola, segundo Vivência do Espiritismo Religioso, se forma nas condições abaixo:
a) Sucessivamente, obedecendo uma programação do Centro que a patrocina;
b) Por encaminhamento natural dos assistidos nos Trabalhos da Casa, após o Curso Básico de Espiritismo.

EXAMES ESPIRITUAIS

Conforme o VER (Português, Español), o Centro Espírita deve organizar exames espirituais ao final de cada ano da EAE, a fim de apurar o aproveitamento dos aprendizes e servidores conforme o parecer dos instrutores espirituais. E o ingresso para esses graus da Iniciação Espírita deve ser organizado pelos Dirigentes das Turmas.

CADERNETA PESSOAL

Na Caderneta Pessoal o aluno discorrerá seus defeitos, vícios, reações, descobertas interiores, progressos, fracassos e um propósito de combatê-los. Nela o aluno registra suas descobertas no complexo terreno interior. Alinha e enumera em pormenores os resultados das suas reflexões para em seguida, armar-se contra as ameaçadoras feras que habitam o nosso mundo íntimo.

O LIVRO DOS ESPÍRITOS

Uma vez concluído o terceiro ano da E.A.E., o Servidor entrará nos estudos de O Livro dos Espíritos.

PERÍODO PROBATÓRIO

No término dos estudos de O Livro dos Espíritos, o Servidor passará pelo Período Probatório (período de três meses), fora do ambiente de turma, quando então avaliará sua busca para renovação de seus sentimentos e decidirá seu desejo de ingressar ou não na Fraternidade dos Discípulos de Jesus.

FRATERNIDADE DOS DISCÍPULOS DE JESUS

(Fonte: VER – Português, Español)
É uma extensão para aqueles alunos cujos corações foram despertados pela E.A.E., de abraçar o ideal de servir à Humanidade, em toda parte e em qualquer situação, incondicionalmente. A Fraternidade dos Discípulos de Jesus é um portal de entrada e não um marco de chegada, pois através dela, o Discípulo sente a Humanidade inteira, com a sensibilidade de seu coração, mobilizando o Amor e a Sabedoria que Deus concedeu.

Outras informações tais como o programa de aulas, caderneta pessoal, vida plena e caravanas, podem ser obtidas no site da Aliança Espírita Evangélica, nos livros VER (Português, Español), Escola de Aprendizes do Evangelho – Perguntas Mais Frequentes (Autores Diversos – Español) e no material de apoio Escola de Aprendizes – Perguntas mais frequentes.

SOBRE A BIBLIOGRAFIA E AULAS

A bibliografia que se encontra nas aulas, bem como os resumos em formato de mapas mentais, apresentações e imagens, não são um material acabado. Este material não exime o estudo e preparo das aulas por parte do expositor.
As aulas aqui apresentadas também não são completas. Elas, as aulas, sofrem evolução, tanto em material, como em reflexão feita por nós mesmos, expositores. Portanto, o objetivo deste material é apresentar um caminho, que por si só não é único e completo como exposto acima, e, por isso mesmo, podendo existir outras fontes bibliográficas, novos estudos e reflexões. Contudo, à medida em que novos materiais forem descobertos, faremos as alterações cabíveis.

Bom proveito e bom estudo.

PRECE DOS APRENDIZES DO EVANGELHO

Letra: E. Armond
Música: R. Vanucci

Português Inglês Espanhol
Prece dos Aprendizes do Evangelho

Pai Celeste, Criador
Fonte eterna de bondade
Auxilia-nos Senhor
A conquistar a Verdade

Abençoa o nosso esforço
Para o Teu reino atingir
Dá-nos Pai a luz que aclara
Os caminhos do porvir

És a glória deste mundo
És a paz e a Esperança
És a luz que não se apaga
És o amor que não se cansa

Dá-nos forças para sermos
Os arautos do Teu Amor
Testemunhos verdadeiros
Do Evangelho Redentor
Testemunhos verdadeiros
Do Evangelho Redentor Prayer of the gospel apprentices

Celestial Father, our Creator
Eternal source of love and kindness
Help us Lord
To find the truth

Bless our efforts
To reach Your kingdom
Give us Father the light that guides us
Through the paths we are to see

You’re the glory of the world
You’re the peace and hope
You’re the light that never fades
You are the love that never ends

Gives us strength to become
Faithful heralds of Your love
Living examples
Of Thy redeeming gospel
Living examples
Of Thy redeeming gospel Himno a los Aprendices del Evangelio

Padre Celeste, Creador,
Fuente eterna de bondad,
Auxílianos Señor
A conquistar la verdad.

Bendice nuestro esfuerzo
Para tu reino alcanzar
Dadnos Padre, la luz que aclara
Los caminos del porvenir.

Eres la gloria de este mundo,
Eres la paz y la esperanza;
Eres la luz que no se apaga,
Eres el amor que no se cansa.

Dadnos fuerza para serte
los heraldos de Tu amor.
Testimonios verdaderos
del Evangelio redentor
Testimonios verdaderos
del Evangelio redentor

Francês Alemão
La prière des apprentis

Père celeste, créateur
Fontaine de bonté
Aide nous seigneur
A conquéri la vérité

Béni notre effort
Pour attendre ton royaume
Dons nous Père ta lumière, ta charité et ton amour.

Tu est la gloire de ce monde
Tu est la paix et l’espoir
Ton l’amour infatigable
Lumière inepegniable

Dons nous tout la force
Detre tes serviteurs
De temoins veritable
De L’Evangile rédempteur
De temoins veritable
De L’Evangile rédempteur Gebet der Studierenden des Evangeliums

Himmlischer Vater, unser Schöpfer,
ewige Gütequelle aller Dinge,
hilf uns Gott Allmächt’ger Herr,
die echte Wahrheit zu erringen.

Segne bitte unser Bemühen
Dein Reich zu erzielen!
Gib uns Vater, das Licht zum Wege, dass die Zukunft uns sei beschienen.

Bist die Herrlichkeit dieser Welt,
bist die Hoffnung und der Friede.
Bist das Licht das stets erhellt,
bist die unermüdliche Liebe.

Gib uns Kraft oh Herr,
die Verkünder Deiner Liebe zu sein
Wahre Zeugen um die Gewißheit,
des erlösenden Evangeliums.
Wahre Zeugen um die Gewißheit,
des erlösenden Evangeliums.

PRECE DAS FRATERNIDADES

Nosso Divino Mestre e Salvador,
Fortalecei-nos e amparai-nos,
Para que possamos lutar
Contra as forças do mal,
Que tentam dominar o mundo.

Veneráveis mensageiros celestes,
Auxiliares de Jesus:
Fortalecei-nos e amparai-nos,
Para que possamos lutar
Contra as forças do mal,
Que tentam dominar o mundo.

Pai Nosso, Criador Nosso,
Fonte eterna de amor e de luz,
Fortalecei-nos e amparai-nos,
Para que possamos lutar
Contra as forças do mal,
Que tentam dominar o mundo

Assim seja.

MUDAREMOS A PRECE DAS FRATERNIDADES? – PAULO AVELINO

recordo-me que, em meados dos anos 90, quando estava em moda a neurolinguística, ouvi pela primeira vez de companheiros da seara espírita a proposição de se alterar a Prece das Fraternidades.
Tal mudança tinha como base a alegação de que não nos competia “lutar contra as forças do mal” e sim “ajudar as forças do bem” posto que, segundo a neurolinguística, nossas afirmações devem ser positivas, uma vez que a realidade mental funciona por proposições afirmativas. Partindo desse pressuposto, toda vez que falamos ou pensamos em “lutar contra o mal” estaríamos enaltecendo-o e não o contrário. Fato é que alguns companheiros e até algumas Casas espíritas reformularam a prece baseados nesta hipótese.
nessa época participamos de alguns debates sobre o assunto e desenvolvemos algumas idéias que gostaríamos de compartilhar com os irmãos de ideal.
Pelo que sabemos, a proposição de tal prece, feita por edgard armond, tem sua origem no período dos grandes embates físicos e espirituais a partir da segunda Grande Guerra mundial. sob a contínua ameaça de hecatombes atômicas, forças monumentais se digladiavam nos dois planos de vida pela hegemonia sobre a crosta e subcrosta. Tal hegemonia, sem dúvida, incluía a neutralização das realizações e pessoas promotoras da evolução na Terra.
armond, que tinha dilatada visão, propôs tal prece como um meio de buscar sintonia com as forças do bem que lhes davam sustentação. A prece devia ser feita às 18h (primeira estrofe), 20h (segunda estrofe) e 22h (terceira estrofe).
No campo externo, o enunciado da prece nos remete a entender que estamos rodeados de inimigos, em meio a uma batalha contra o mal, carentes da proteção do mais alto. o que sem dúvida não deixa de ser verdade pelo próprio primitivismo que ainda predomina em nosso planeta e em suas criaturas. mas ampliemos a visão sobre o tema: se não temos poder sobre as escolhas das outras pessoas, se lhes apraz escolher experiências no lado escuro da vida em práticas involutivas ou estacionárias, por nosso lado temos poder sobre o nosso mundo íntimo onde de fato podemos escolher e praticar o bem.
Em o livro dos espíritos, questão 551, lemos:
“Pode um homem mau, com o auxílio de um mau espírito que lhe seja dedicado, fazer mal ao seu próximo?”
“não; Deus não o permitiria.”
Pela resposta do espírito verdade podemos concluir que “as forças do mal” têm um grau de liberdade delimitado pelas leis divinas, dentre as quais destacam-se a lei de livre-arbítrio e a lei de afinidade. elas não podem nos tornar melhores ou piores, mas podem explorar o mal que existe em nós, exacerbando nossas fraquezas morais, físicas e espirituais.
Paulo de Tarso já o dizia, em sua epístola aos romanos, no capítulo 7:
“Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço …Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço… Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento.”
assim entendendo, no meu uso cotidiano da Prece das Fraternidades, busco fazê-la olhando para dentro de mim, rogando o auxílio das forças do alto para iluminar a ignorância de mim mesmo, das forças animais que lutam inercial-mente para manterem seu controle sobre o ser consciente que sou eu, o ser espiritual.
assim, estarei em sintonia com as forças do bem, que buscam libertar nosso mundo interior, que apóiam a expansão de nossa espiritualidade .
Fica aí nossa sugestão para mudarmos o foco da Prece das Fraternidades, sem lhe atacar o texto: quando a efetuarmos, olharmos e focarmos para dentro. Experimentem!
“Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso senhor… Porque a lei do espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.” (romanos 7:25 e 8:2)

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário